Cobertura do FGC para depositantes subirá de R$ 70 mil para R$ 250 mil

ImagemO Fundo Garantidor de Créditos (FGC) discutirá em uma assembleia nesta terça-feira a ampliação da garantia dada a depositantes de bancos de R$ 70 mil para R$ 250 mil.

A medida, antecipada às 17h02 pelo Valor PRO, serviço de notícias em tempo real, busca tornar a garantia dada a depósitos no Brasil mais próxima do padrão internacional. Os estudos estão sendo conduzidos pelo FGC e pelo Banco Central desde o começo deste ano. A expectativa é que a nova regra seja aprovada ainda no próximo mês pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Com o seguro de R$ 250 mil, o objetivo também é contribuir para a liquidez dos bancos de médio porte, bastante abalada desde que uma série de bancos atravessou problemas desde a descoberta de um rombo bilionário no PanAmericano em 2010.

Bancos de menor porte poderiam atrair para sua base de captação investidores pessoas físicas a partir da nova garantia. Sem ter uma rede de agência para fazer a venda de papéis como Certificados de Depósito Bancários (CDBs), essas instituições devem distribuir seus títulos por meio de plataformas eletrônicas ou corretoras.

Hoje, os bancos já contam um instrumento de captação com uma garantia maior, o Depósito a Prazo com Garantia Especial (DPGE), cujo limite é de R$ 20 milhões, mas é voltado para grandes aplicadores.

Conta conjunta

O FGC mudará ainda a forma de pagamento das garantias para contas conjuntas feitas a depositantes de bancos que tiverem problemas. Hoje, no caso de contas conjuntas que envolvam um dependente ou cônjuge, o FGC paga R$ 70 mil para o titular e outros R$ 70 mil para o dependente ou cônjuge. Se a conta não tem dependente, paga-se R$ 70 mil por conta, mesmo que ela esteja em nome de duas pessoas.

Com as alterações que serão discutidas na assembleia de terça-feira, a garantia aos depósitos passará a ser maior, de R$ 250 mil. Mas, independentemente de uma conta conjunta ter dependentes ou não, será feita a indenização de apenas R$ 250 mil, para ser dividido.

Porém, a cobertura será de até R$ 250 mil por CPF, independentemente do número de contas que a pessoa tiver.

A mudança tem como objetivo simplificar o processo de indenização. Em recentes casos, como os do Cruzeiro do Sul e do BVA, o FGC encontrou dificuldades para identificar se a conta envolvia dependentes ou cônjuges, o que trouxe mais demora ao processo.

Fonte: Valor Econômico | Por Carolina Mandl | De São Paulo

2 pensamentos sobre “Cobertura do FGC para depositantes subirá de R$ 70 mil para R$ 250 mil

  1. Boa tarde,

    Quanto a noticia acima, não vi a menção das LCA´s como integrantes da garantia do FGC ao lado das LCI´s.

    As LCA´s do banco intermedium passarão também a contar com essa garantia?

    Att. Leonardo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s